Início » Estudos Bíblicos » Jesus, Maria, Joana, Suzana e muitas outras

Jesus, Maria, Joana, Suzana e muitas outras

Estudo Bíblico sobre: "Jesus, Maria, Joana, Suzana e muitas outras".


Lucas 8.1-3

Os quatro evangelhos narram inúmeras ocorrências de relacionamentos de Jesus com mulhers, retratando cenários, diálogos e momentos em que elas estiveram com Jesus (Lucas 24.10, Marcos 15.40-41). Cristo demonstra que era um homem à frente de seu tempo, pois saiu em defesa da mulher e se posicionou contra as injustas convenções de sua época. Neste pequeno trecho de Lucas podemos perceber que Jesus, mais uma vez, quebra paradigmas e desafia as restrições impostas por sua cultura, permitindo que algumas mulheres se juntem a ele e à sua comitiva para anunciar o reino de Deus (Lucas 8.1-2). Vamos ver o que aconteceu com essas mulheres que caminharam com Jesus:

1. Jesus serviu-as com o que tinha

No episódio na casa de Simão (Lucas 7.36-50), protagonizado por uma mulher anônima simplesmente denominada “pecadora”, Jesus surpreendeu os homens ali presentes ao defender e valorizar a atitude daquela mulher. Lucas também registra que, além dos tradicionais discípulos, seguiam com Jesus de cidade em cidade algumas mulheres, uma delas era Suzana (Lucas 8.3). Após ser restaurada acompanhou Jesus em seu ministério, tornou-se líder entre as mulheres que o serviam. As atitudes de Jesus em relação às mulheres expressavam claramente que ele não fazia distinção em seu ensino e que apreciava as habilidades tanto dos homens como das mulheres, pois as ensinava com amor e dedicação.

2. Jesus foi servido com o que elas tinham

A gratidão brota nos corações transformados (Ezequiel 36.26-27), não somente porque Jesus as valorizava, mas também porque elas experimentaram algo tremendamente novo, uma verdadeira revolução de dentro para fora. De maneira corajosa elas enfrentaram o desconforto de olhares e críticas a fim de seguir o Mestre e assisti-lo junto aos seus discípulos, a exemplo de Joana, mulher de Cuza, procurador de Herodes, que se juntou às demais e ofertou não apenas o seu tempo e energia, mas também os recursos de que podia dispor para apoiar a obra do Senhor. Jesus levou as mulheres a sério e estabeleceu um relacionamento pautado em considerações mútuas e num grande companheirismo onde Cristo recebeu mais do que bens (Lucas 8.3), pessoas fiéis que permaneceram firmes até a sua ressurreição (Lucas 24. 1-12).

3. Jesus serve a todos e a todas

Ao permitir que algumas mulheres o seguissem Jesus manifestava de forma intencional o desejo de vê-las envolvidas ativamente na obra de Deus sob o firme fundamento de que o reino de Deus está disponível a todos (Lucas 8.1-2) acima de qualquer preconceito e tradição. Jesus, em todo tempo, almejou um relacionamento saudável com os seus seguidores, relacionamento que foi, especialmente, marcado pelo cuidado mútuo, uma via de mão dupla, que se estendia àqueles que dia a dia iam sendo acrescentados, pois todos à medida que recebiam o cuidado, ao mesmo tempo, cuidavam disponibilizando tudo o que tinham (Atos 2.42-47). Vivendo nesse modelo percorriam as cidades e aldeias ensinando, curando, libertando, e todos os que criam ganhavam uma nova forma de viver.

Precisamos aprender com Jesus a não ter nenhum tipo de preconceito e, assim como ele, devemos ser movidos de íntima compaixão, independente de quem seja a pessoa, pois no reino de Deus não há este ou aquele, somos todos iguais.

Fonte: IPILON


Leia mais...

O que determina o sucesso?

O que determina o sucesso?

Renovando o sentido de propósito na vida

Renovando o sentido de propósito na vida

Escolhei hoje

Escolhei hoje

A lei da semeadura

A lei da semeadura


Comentários