Início » Estudos Bíblicos » A Segunda Vinda de Cristo

A Segunda Vinda de Cristo

Mt 26:64 Ben Gardner I. Introdução Há apenas cinco dias nós celebramos, com confraternização, comida, e troca de presentes, a...


Mt 26:64

Ben Gardner

I. Introdução

Há apenas cinco dias nós celebramos, com confraternização, comida, e troca de presentes, a primeira vinda de Cristo. Este evento que tanto celebramos era ansiosamente esperado desde os tempos antigos, predito pela profecia, e ainda desacreditado pelos Judeus. O primeiro advento de Cristo era um tempo precioso – pois seu primeiro advento era um tempo de dar; Deus dando Seu filho para que o mundo não perecesse em razão da condenação do pecado.

Sua vinda era um evento em qual todo mundo – ambos Judeu e Gentio – poderia olhar para o passado em gratidão, porque ele providenciou salvação para todos. Aquele primeiro dia da Era Cristã era um tempo precioso – um dia em que, por um pouco de tempo, os pastores de ovelhas poderiam esquecer as injustiças da vida, a opressão Romana, e olhar maravilhados para o presente de Deus para o mundo – um pequeno e inofensivo bebê.

Talvez sejam por estas razões que nós nos seguramos às tradições vazias do passado – repetindo-as ano após ano. Por causa destes razões, sem duvida, nós colocamos os nossos mentes no bebê na manjedoura, relemos as histórias do seu nascimento com tanta reverencia, e contamos as nossas crianças a história de uma outra criança que em tudo era sujeito a seus pais (Lu. 2:51) – assim como eles deveriam ser!

O primeiro advento de Cristo não promete mal a ninguém; não ameaça ninguém.

O segundo advento de Cristo é um evento também predito pela profecia e esperado ansiosamente por muitas pessoas – mas não pode nem igualar a fama e prestígio de seu primeiro advento. Será por quê?

Primeiramente, será um tempo de tomar, e não de dar. Segundo, a sua vinda não será para todo mundo. É claro, ele voltará para ambos Judeu e Gentio, mas nem todo Judeu e Gentio será o alvo da sua vinda. Para os não salvos, a segunda vinda de Cristo significa ser deixado. O segundo advento marca uma nova fase, talvez mais terrível, na separação da humanidade pecaminosa e Deus santo.

II. Ele Está Voltando.

Cristo está voltando. Como sabemos? Primeiro, temos a testemunha da profecia Velho-Testamentaria – Malaquias 4:1 fala de julgamento e fogo sobre os ímpios. Como ainda veremos, o julgamento do pecado é uma das razões por que Cristo virá.

Temos ainda as testemunhas daqueles que andaram com Cristo aqui na terra. Tiago (Tg 5:8), João (I Jo 2:28), Tito (Tit 2:13), Pedro (I Ped 5:4), e Paulo (I Cor 4:5) todos falaram da vinda dEle.

Os anjos também confirmaram a sua segunda vinda em Atos 1:10, 11.

Todos estes, porém, seriam desacreditados e desqualificados se nós não tivemos a afirmação de Cristo que ele iria retornar (Mt 24:27, 36; 26:64).

Cristo voltará. Nós temos uma testemunha de quatro – aqueles que profetizaram dele, aqueles que andaram com ele, seus anjos, e Si mesmo. A veracidade de seu advento futuro não poderá ser duvidada.

III. Porque Ele Está Vindo

Por que Ele está vindo é talvez uma pergunta que nos perplexa. A resposta para esta pergunta pode ser achada na razão atrás de Seu primeiro advento – João 3:16. !Porque Deus amou? será o suficiente para explicar uma dos razões da sua segunda vinda. Era o amor, o amor de Deus – colocado em ação por Sua graça – que nos assegura a sua segunda vinda. A sua primeira vinda foi colocada em ação porque Ele amou o mundo (Jo 3:16), a segunda porque ele amou os seus (Jn 14:23). Se a sua primeira vinda providenciou a salvação para nós, e com ela cidadania divina, então a segunda, enfim, nos dará o fim das nossas esperanças e desejos como cidadãos do céu (Fil 3:20), mas não morando ali. Tudo isso nos traz a nossa segunda razão – a misericórdia.

O que menos a sua misericórdia nos concederia viver para a eternidade no céu, louvando a Deus e comendo na sua mesa? No pecado, nós odiávamos Deus, o ignoramos (Rom 3:10, 11), e curtíamos viver e rolar na sujeira da iniqüidade em qual nós nascemos. Ninguém merecia a salvação, mas, para aqueles que aceitam o sacrifício de Cristo, Ele estará voltando (He 9:28). Segue o raciocínio que se nós não merecíamos a salvação, conforme Efésios 2:8, então não merecíamos aquilo que veio com a salvação – entre outros, sendo incluído na segunda vinda de Cristo.

Finalmente, Cristo está voltando porque Ele disse! A fé verdadeira não precisa de nenhuma instigação do que o fato que Cristo disse e afirmou tal ou tal coisa. Em Cristo, qualquer coisa menos fé é um afronta á sua santidade (Ro 14:23). Porque Cristo está voltando? Porque ele disse que está! Acredite.

IV. Quando Ele está Voltando?

Matemáticos sem numero e a mesma quantidade de !Estudiosos bíblicos? têm tentado, desde a antigüidade, calcular a data da sua vinda – baseada em princípios matemáticos – ou predizê-la – baseado em revelação !divina? ou inspiração emocional. Todos têm falhado miseravelmente.

As predições mais velhas da sua vinda eram feitas por vários historiadores antigos que calcularam que Cristo voltaria em AD 72 – dois anos depois da destruição de Jerusalém, que eles compararam a Armagedom e o começo simbólico da tribulação. Predições para este século incluem 1911, 1918, 1932, e 1945. Todos têm sido provados errados: mas, novas datas continuam de aparecer. As predições mais recentes incluem 1999, 2000, 2002, e 2005. Parece-me que se todos os matemáticos e estudiosos fossem inspirados divinamente como dizem ser, então teriam algum tipo de concordância entre as datas – mas não há.

Vendo como o homem é falível, devemos prestar atenção somente á o que Cristo, o Filho de Deus, e Deus, diz a respeito de sua própria vinda.

Será repentina – Mt 24:27

O dia e hora são incógnitas – Mt 24:36

O tempo do seu advento será não anunciado (como o de um ladrão) – Apoc 16:15

Na hora em que achamos que Ele não virá, Ele virá – Luc 12:40.

Assim como o homem é errático, e variando muito neste respeito, a Palavra de Deus é firme e não sujeito a influencias que variam. Um aspecto da sua vinda é muito claro – nós não sabemos e não podemos saber o tempo da Sua vinda.

VI. Qual É o Propósito da Sua Vinda?

Retribuição – Mt 16:27

Tomar o que é dEle (trono da sua glória) – Mt 25:31

Separar os seus do mundo – Mt 25:32

Julgar – II Tim 4:1

Trazer á luz e manifestar o encoberto – I Cor 4:5

VI. Conclusão

A. Você está preparado para a vinda dEle?

Você está de fato pronto para a vinda dEle? Você está pronto para ser julgado perante o seu Criador. Você está preparado para ter os seus pensamentos internos e as maquinações encobertas do seu coração manifestado para a sua tristeza e vergonha? Como será você, como aquele rei ímpio de Dan 5, quando pesado na balança? Será achado em falta?

Se Deus tem lhe trazido a ver a ser entristecido pelo seu pecado e como o afeta, e quiser escapar da resultante condenação do Inferno – então corre á porta de escape que Ele tem providenciado. Ou seja, salvação pela morte dAquele que há de vir. A formula é simples – confia somente em Cristo, pela fé, para a salvação (Gal 3:26). Apenas Ele pode salvar (Jo 14:6).

B. E Qual deve ser o nosso atitude enquanto esperamos para a Sua Vinda?

Para nós que já estamos em Cristo, o que deve ser o nosso atitude?

Primeiramente, vamos ser apercebidos (prontos) – conforme Mt 24:44. Dois mil anos de aparente inatividade na parte de Cristo pode ter nos feito sonolentos. Já parece que estamos entrando na ultima parte dos últimos tempos. Ao nosso redor guerras matam e mutilam, e desastres, tanto naturais como mecânicos, ocorrem. A terra em si movimenta e grunhida enquanto a própria natureza clama contra os resultados da primeira queda de Adão. Assim são as indicações como Cristo nos revelou que seriam em Mt 24:6, 7 e Mk 13:7, 8. A intensidade das coisas que acontecem ao nosso redor que estamos bem no ultimo tempo da era final. Talvez nós tenhamos entrado na noite do longo e doloroso dia dos últimos tempos, e o próximo acontecimento de porte magnífica vai ser a vinda de Cristo. Mas, no outro lado, talvez não esteja. Talvez em comparação ao tempo em que ele virá nos estamos ao meio dia. Talvez haja muitos anos, milhares talvez, até que Ele vem. Não importa. O que importa é que Cristo está voltando, e Ele voltara subitamente e repentinamente. Nós devemos estar presentes. Não devemos ser achados como as cinco virgens tolas de Mateus 25, inativas e não preparadas.

Devemos estar ao voltar dEle, obedecendo a sua grande comissão, obrando nas suas terras que são brancas para a ceifa (Jn 4:35). Não devemos desperdiçar os nossos talentos, porque, quando Ele as nos deu, Ele nos mandou – !Ocuparem até que venho.”

Finalmente, vamos ser ocupados em viver irrepreensivelmente (I Tess 5:23) e em caridade (não julgar) um ao outro (I Cor 4:5). Como é triste quando um Crente tem medo da vinda de Cristo! Quando Ele aparece nas nuvens vamos não permitir o nosso gozo e prazer em ve-Lo ser inibido por tristeza e culpa pelos nossos pecados pessoais, e pecados para com os nossos irmãos. É verdade, a luz pura da Sua santidade nos iluminará até os nossos almas – e revelará nossas falhas. Não devemos ser desencorajado, portanto. Como Paulo, no fim das nossas vidas ou na vinda de Cristo, devemos poder dizer com certeza, !Combati o bom combate … guardei a fé.” II Tim 4:7.

Dezembro 1999
Autor: Ben Gardner
Fonte:www.obreiroaprovado.com

Autor

* As opiniões expressas nos textos publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores
e não refletem, necessariamente, a opinião do Gospel Prime.


Leia mais...

O Evangelho propaga-se entre os gentios

O Evangelho propaga-se entre os gentios

A Importância da disciplina na Igreja

A Importância da disciplina na Igreja

Sinais e Maravilhas na Igreja

Sinais e Maravilhas na Igreja

Os 5 degraus da restauração de Pedro

Os 5 degraus da restauração de Pedro


Comentários